It would be great if you could support us with a small donation.
It might not be much for you, but it would help us providing more and better interviews in the future.
With a little bit of your support we might be able to realize even more!


With their bright outfits and cute band name Chanty touches the hearts of fans worldwide, but the bands foundation is surprisingly dark. The perfect combination if you ask us!


Primeiro, gostaríamos de perguntar sobre o nome da banda. Por que escolheram “Chanty”?

Nonaka Taku: Originalmente havia outras duas ou três possibilidades como nomes, mas como há outras implicações para a palavra “Chanty”, a maioria de nós optou por “Chanty”. Se me lembro bem, havia algo como “Jikasei Jet” [jato caseiro] como uma dessas possibilidades!

Akuta: Havia também “Shangrila”. Aliás, eu gostei do nome “Jikasei Jet”. É fofinho, “Jikasei Jet”. Mas eu fico feliz por termos escolhido  “Chanty” no fim.

Há muitas bandas no Visual Kei que são sombrias e obscuras. A imagem resplandecente e as roupas brancas do Chanty são exatamente o oposto disso. Por favor, conte-nos sobre o conceito do Chanty!

Akuta: A nossa imagem, como por exemplo, nossas roupas, pode ser resplandecente, mas no fundo a nossa base é extremamente obscura. Nós somos bastante sombrios. Talvez seja por isso que admiramos coisas resplandecentes. Nós não estávamos tão conscientes assim sobre um conceito, mas no dia a dia nós nos sentimentos amedrontados ou frustrados. Era esse sentimento exótico que queríamos capturar.

No dia 16 de setembro, o Chanty irá comemorar seu aniversário de 8 anos. Dentre as coisas que vocês realizaram como uma banda nesses 8 anos, quais são algumas coisas que os deixam orgulhosos?

Nonaka Taku: Eu sinto que é provavelmente cada coisa individual e tudo. Nosso primeiro concerto solo, o primeiro aniversário, o segundo aniversário. Enquanto ficamos ativos como uma banda, tudo é constantemente renovado. Portanto, eu sempre fico agradecido e orgulhoso com essa situação em que nós continuamos a inovar.

Akuta: Eu achei que faríamos tudo que queríamos fazer depois de tocar por 8 anos, mas ainda há muitas coisas que queremos fazer. Apesar que se eu tentar pensar em algo específico agora, eu não consigo pensar em nada. Então eu acho que basicamente eu me sinto orgulhoso dos shows do Chanty e das coisas que conseguimos alcançar com cada show. Eu fico orgulhoso porque cada show é um desafio e uma realização.

8 anos é bastante tempo. Qual foi a maior motivação de vocês para continuar a fazer música?

Akuta: É claro que às vezes nós perdemos a motivação, mas o que encontramos depois de superar isso é incrível. Por conta disso, nós permitimos que fiquemos desmotivados, e depois conseguimos descontar toda nossa frustração.

Qual foi a coisa mais engraçada que aconteceu durante uma turnê ou enquanto faziam uma música?

Shiro: Na maior parte das vezes, a música do Chanty é composta no estúdio por todos nós. Portanto, é bastante comum que a música original, que um dos membros havia levado, acabe ficando completamente diferente quando é terminada. Eu acho isso engraçado. Eu sempre fico ansioso com a ideia que os outros vão ter.

Akuta: Nonaka está sempre distraído quando não prosseguimos bem com as composições. Mesmo que ele negue, eu estou sempre prestando atenção, porque eu acho um pouco engraçado. Eu tenho a impressão que acaba virando um barômetro, que diz “Ah, isso não funcionou direito”. É bem fácil de entender.

Quais músicas vocês recomendariam a quem ainda não conhece o Chanty?

Nonaka Taku: Eu escolheria HARU WAZURAI (春煩い). O título não é “Haru urusai”, mas “Haru wazurai”. [A leitura comum de 煩い é “urusai”]

Akuta: Eu gostaria que as pessoas ouvissem ANATA DAKE WO KOWASHITE KAZATTE MITAI (貴方だけを壊して飾ってみたい). Tem a impressão de ser A música do Chanty.

Muitos dos comentários em seus clipes no YouTube são de fãs do exterior, de vários países. Um comentário bastante marcante disse: “Muito obrigado a todos vocês por fazerem músicas tão brilhantes. Suas músicas sempre me dão força e felicidade”. Vocês esperavam impactar tantas pessoas fora do Japão com suas músicas?

Akuta: Isso é incrível. Nós não esperávamos. Nós já tocamos na América e também tivemos um show acústico lá. Depois que terminamos, recebemos uma ovação. O intérprete disse que era difícil traduzir as minhas letras em inglês. Mas no fim conseguimos fazer músicas que afetaram pessoas independente de coisas como o conteúdo da letra. Eu passei a pensar que desde que possamos causar uma impressão em pessoas assim, para mim já é suficiente.

Shiro: Pelo Visual Kei ser, afinal, um fenômeno cultural único no Japão, eu ficava pensando se as pessoas de fora teriam interesse em nós ou não. Por sermos bastante livres com as características de nossa música, nós podemos fazer as coisas que a gente gosta. E eu fico muito feliz que conseguimos atingir as pessoas no exterior desse jeito.

Desde junho deste ano, o Naruto pausou suas atividades temporariamente devido a uma dor em seu punho direito. Os seus fãs devem estar preocupados, então se há algo que vocês possam compartilhar conosco, por favor compartilhem!

Nonaka Taku: Com certeza eles devem estar preocupados. Nós também estamos, mas o Naruto está bem. Nós nos vemos às vezes, e ele também vai a alguns shows. Até o momento ele está bem!

Akuta: Quando ele foi à nossa turnê um dia desses, ele estava com um apetite bastante saudável, então ele já está melhor. Nós rezamos para que a mão dele melhore de pouco em pouco, sem pressa.

Para comemorar o lançamento de HARU WAZURAI (春煩い), vocês fizeram um evento online. Vocês tiveram a chance de conversar diretamente com os seus fãs pela plataforma Zoom. Como foi esse evento online? Foi muito diferente dos eventos presenciais?

Shiro: Eu tive a impressão que os eventos presenciais ficam bastante turbulentos devido às programações, mas se é online dá para conversar relativamente sem pressa. Eu também acho que os fãs estavam mais relaxados durante as conversas. Nos sentimos solitários por não podermos nos encontrar pessoalmente, mas eu passei a notar que eventos online também possuem o seu mérito.

Vocês querem tocar no exterior algum dia? E há algum país que gostariam de ir?

Shiro: O Chanty tocou na América uma vez, antes de eu me juntar à banda, e eu sempre ouço histórias engraçadas sobre isso. Portanto eu gostaria que o Chanty pudesse ir para a América de novo. Eu gostaria de ir ao McDonald’s de lá.

Akuta: A última vez que nós fomos, dissemos que nós iríamos voltar, então eu quero ir para a América de novo. Eu também gostaria de ir para o Taiwan. E também gostaria de ir a Londres e gravar algo no exterior.

E por último, há algo que gostariam de dizer para os fãs do exterior?

Akuta: Se a bateria faz “bam!”, a guitarra e o baixo fazem “screech!” e o vocal faz “wah!”, e isso por si só já é um milagre. A coisa incrível sobre música é que você, de algum modo, não precisa das palavras ou do significado ali. Portanto, eu espero que nós continuemos a fazer esse tipo de música e que a banda dure no futuro. Nós lhe damos as boas vindas ao mundo do Chanty!

Interview: Chris
Translator: Gabriel Azevedo

Chanty OFFICIALChanty OFFICIAL TWITTER
SpotifyAPPLE MUSIC

It would be great if you could support us with a small donation.
It might not be much for you, but it would help us providing more and better interviews in the future.
With a little bit of your support we might be able to realize even more!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s