It would be great if you could support us with a small donation.
It might not be much for you, but it would help us providing more and better interviews in the future.
With a little bit of your support we might be able to realize even more!

Their new release, touring, their best and worse memories over the years, and even their strongest temptations. They shared EVERYTHING with us- and you!



Antes de começar a entrevista, nós gostaríamos de fazer uma brincadeira. Bem, não é exatamente uma brincadeira, é mais tipo tirar cartas (risos). A pergunta que nós faremos vai depender da carta que vocês escolherem. Quem gostaria de começar?

ACME: Nós normalmente deixamos nosso vocalista fazer essas coisas.

Certo, por favor, escolha uma.

HAL: Assim que você escolher, a entrevista acaba (risos).

Deixa eu ver que carta você pegou.

CHISA: O Mago.

Ah, essa é boa. O Mago, certo? Se vocês pudessem se tornar um mago, que tipo de magia vocês gostariam de usar?

CHISA: Hmmm. Eu gostaria de usar uma magia que atinja a barriga das pessoas.

Todos: (risos).

CHISA: Eles vão ficar com a barriga doendo quando eu fizer isso (ele levantou os braços).

Entendo. Uma magia negra…

HAL: Não é assim tão ruim.

CHISA: Sim, exatamente. Só é um pouco assustadora. Nem ia machucar de verdade, então eu poderia me divertir com ela.

HAL: Se o seu chefe estiver com raiva de você, ele vai estar tipo “Ei, você! Aiii (magia de dor de barriga). Por favor, continue com seu bom trabalho” (risos).

RIKITO: Ela tem efeito imediato, né?

(risos). E os outros?

RIKITO: Eu iria acabar com a guerra.

ACME: Oooooh!

RIKITO: A guerra atual não causa nada além de perdas para os japoneses. As coisas ficam caras. Tudo custa muito dinheiro. Então, sim.

HAL: Eu iria manipular o clima. Às vezes chove quando eu vou para as montanhas. Além disso, eu seria considerado um deus em certos países.

SHOGO: O que eu deveria escolher? É difícil escolher. Eu gostaria de me tornar o mais forte do mundo.

HAL: Mas você ainda vai ter dor de barriga.

CHISA: Você consegue até acabar com a guerra fazendo a barriga das pessoas doer.

RIKITO: Dá pra atingir a paz mundial.

Tudo está se encaixando. Vamos começar a entrevista. Obrigada por nos dar a oportunidade de entrevistar vocês frente a frente dessa vez.

ACME: Obrigado você.

Nós gostaríamos de perguntar a vocês sobre seu novo álbum também, mas, antes disso, nós gostaríamos de começar perguntando sobre sua turnê nos EUA e no Canadá nesse verão. Essa foi a primeira vez de vocês no Canadá, certo? Qual foi a coisa mais marcante que aconteceu durante a turnê?

RIKITO: Canadá foi simplesmente cheio de memórias incríveis.

SHOGO: Quando nós fomos a Pitsburgo, eles colocavam batata fritas em tudo, até na pizza!

CHISA: Mas era muito gostoso (risos).

RIKITO: Eu também amo batata frita. Mas era tipo, batata frita em tudo.

Nós ficamos felizes que tenha sido gostoso (risos). Tem algo que deixou uma marca em vocês durante os shows também?

SHOGO: Tem sim! Uma lembrança feliz! A primeira vez que nós, como ACME, esgotamos um show em Chicago.

CHISA: Dallas…

SHOGO: Ah, eu confundi. Não foi Chicago, foi Dallas.

CHISA: Nós ficamos tão felizes que esgotamos pela primeira vez em Dallas.

Isso é ótimo! Parabéns! Aconteceu algo inesperado?

HAL: O espaço era ao ar livre em Austin. Estava fazendo 43 graus, então estava extremamente quente. Durante o ensaio o computador parou de funcionar e nós não podíamos nem ensaiar. Nós começamos a pensar o que nós poderíamos fazer para resfriá-lo um pouco. Quando nós abrimos o freezer no camarim, tinha hambúrgueres congelados.

CHISA: A festa dos hambúrgueres.

HAL: Quando nós os colocamos em baixo do computador, ele começou a funcionar de novo (risos). Graças a isso nós conseguimos continuar com nosso show. Da próxima vez que ele ficar superaquecido, nós vamos procurar por hambúrgueres (risos).

CHISA: Durante as turnês, em todos os aeroportos que nós chegávamos, o staff do aeroporto sempre nos perguntava sobre nossa banda. Porque nós sempre tínhamos vários instrumentos conosco, as senhorinhas nos guichês sempre nos pediam nossas contas do Tik Tok ou Instagram (risos). Eu não consigo lembrar onde foi, mas um membro importante da equipe chegou e viu a gente com nossa bagagem de sempre (instrumentos) e no deixou fazer os procedimentos bem rápido.

HAL: As pessoas estavam fazendo filas enormes, e era como se a gente tivesse na primeira classe (risos).

SHOGO: Quando nós fomos dos EUA para o Canadá, tinha um controle de imigração. Tinha uma fila enorme até a inspeção da segurança quando nós fomos lá passar nossas bagagens. Mas quando nós falamos pra eles sobre nossa banda, eles nos disseram pra entrar rápido por lá. Falar pra eles sobre nossa banda sempre funcionou.

CHISA: Eles são muito mais gentis com membros de bandas do que no Japão. As vezes, nos EUA, nós encontrávamos pessoas que diziam que tinham conhecidos que moram no Japão. As vezes eles diziam que eles ou seus conhecidos gostam de bandas ou da musica o Japão.

RIKITO: Como nós sempre temos muita bagagem no aeroporto, nós tentamos fazer o check-in no aeroporto mais cedo. No Japão, as pessoas são bem pontuais, então todo mundo tenta chegar mais cedo, mas quando nós fizemos isso nos EUA, eles nos agradeceram por ir para o aeroporto mais cedo. Eu fiquei surpreso que eles ficaram felizes só por isso.

Isso é incrível. Vocês conseguiram visitar pontos turísticos nos EUA e no Canadá?

ACME: Sim, nós visitamos muitos pontos turísticos.

RIKITO: Sempre que vamos aos EUA nós fazemos turismo com as fãs. Nós também nos divertimos durante aqueles eventos.

Isso é ótimo. Vocês visitaram muitos lugares novos?

ACME: Sim, sim. Tudo foi incrível.

SHOGO: Os morcegos. Nós observamos os morcegos em Austin, a pizza em Nova Iorque era extremamente gostosa.

HAL: Nós ficamos chocados com o quanto ela era gostosa (risos). Nós comemos muito.

CHISA: Nós também visitamos a Times Square em Nova Iorque e vimos a Estátua da Liberdade. Provavelmente não tem outras bandas que fizeram uma sessão de fotos na Times Square.

Nós também queremos perguntar a vocês sobre a comida. Vocês já falaram sobre a pizza e as batatas fritas de Nova Iorque, mas o que mais vocês comeram? Especialmente no Canadá, já que foi a primeira vez de vocês lá.

ACME: Aquilo! Aquilo! Aquilo! Aquele negócio lá era delicioso!

CHISA: Poutine.

HAL: Não é proteína [“protein”] (risos). Foi delicioso. O peixe grelhado também era muito bom.

CHISA: As alergias…

RIKITO: Sim, eu acidentalmente comi algum peixe ao qual eu sou alérgico em Toronto, então meu rosto inchou (risos). Essa foi a coisa mais marcante pra mim nessa turnê, como uma memória ruim.

CHISA: Nós também comemos churrasco várias vezes.

RIKITO: O churrasco era delicioso.

CHISA: Depois, quando nós fomos para LA pela primeira vez, nós comemos muito churrasco.

HAL: Depois de um mês, e foi pela ultima vez, mas nós usamos molho shoyu com sabor de manteiga (risos).

CHISA: (risos). No fim, nós estamos acostumados a comer churrasco sempre com molho yakiniku ou molho shoyu no Japão. O molho de churrasco nos EUA também é delicioso, mas como não tem molho japonês nos EUA, nós acabamos ficando com mais vontade ainda (risos). Então nós tentamos misturar o molho de churrasco coreano com molho shoyu para criar o mesmo sabor (risos).

(risos). E como ficou? Deu certo?

CHISA: Eles tinham vários molhos em LA, então de alguma forma nós conseguimos.

HAL: O camarão era delicioso. Quando nós íamos ao restaurante e eu não conseguia decidir o que comer, eu sempre escolhia o camarão, e nunca me arrependia. Pelo menos até agora. No Japão, o camarão tem um cheiro ruim e não é muito gostoso, mas nos EUA nunca era ruim.

CHISA: Sim, exatamente. Tipo, o frango lá é um pouco queimado e seco pro gosto japonês, mas o camarão era sempre bom.

HAL: Eles são ótimos em cozinhar camarão.

Nós gostaríamos de fazer essa pergunta pra CHISA. Durante a turnê você usou sapatos de salto alto vermelhos, não foi? Depois disso você também os usou durante a turnê no Japão.

CHISA: Foi sim, eu tenho usado eles desde então.

E como foi? Foi difícil se apresentar de salto alto?

CHISA: Eu me acostumei. Mas eu estava usando saltos mais altos durante o photoshoot. Seria impossível me apresentar com aqueles.

HAL: Ah, então não foi um erro. Você não estava com pressa e calçou os sapatos da sua mãe e eram os únicos que você tinha com você (risos).

CHISA: Um membro do staff nos EUA disse algo tipo “como você vai fazer isso de qualquer forma, eu vou comprar uns sapatos pra você na AMAZON, então, por favor, calce eles”. Eu testei pra ver se aqueles sapatos iam dar certo e, surpreendentemente, eu consegui. Então eu simplesmente continuei calçando eles.

Eles ficam muito legais em você! Como foi a reação das fãs?

CHISA: Muito boa. Eu sinto como se eles tivesse se tornado um símbolo pra mim. Provavelmente não tem muitas bandas que usam sapatos de salto alto vermelhos enquanto fazem esse tipo de música. Então, nesse sentido, eu acho que me destaquei.

Nós concordamos. Então, como você decidiu usá-los de início?

CHISA: Na verdade, eu tive várias reuniões com o designer que fez os figurinos. E eu mesmo estava ficando meio cansado dos figurinos de costume, e queria fazer algo diferente. Foi decidido assim.

Então, voltando à turnê nos EUA, os itens lançados pra essa turnê foram muito criativos. Nós adoramos especialmente o pendrive em formato de fita cassete que incluía 10 músicas suas, porque dava um sentimento muito nostálgico. Como vocês tiveram essa ideia?

SHOGO: Quando nós começamos a conversar sobre lançar um novo álbum primeiramente, nós conversamos sobre várias coisas diferentes, tipo se teria uma capa de papel ou uma de plástico. Durante essas discussões, a ideia do pendrive em forma de fita cassete surgiu (risos). Então nós procuramos pelo material e decidimos que queríamos seguir dessa forma.

CHISA: Nós queríamos fazer algo especial pra turnê nos EUA e decidimos seguir com isso.

Também está à venda no Japão, não é?m

CHISA: Mas já está esgotado.

RIKITO: Não tem mais quase nenhum sobrando. Está praticamente esgotado.

SHOGO: Vendeu muito bem.

RIKITO: Foi mesmo. Até nos EUA. Eu acho que por ser algo único, várias pessoas compraram.

Entendi. Vocês também irão começar uma turnê no Japão em novembro, certo? Nessa próxima turnê, vocês irão visitar lugares em que não tiveram a chance de visitar há algum tempo. Pelo que vocês mais estão ansiosos?

CHISA: Estou ansioso pelos shows, claro. E além dos shows, essa pergunta é do tipo que a resposta de um serve pra todos…

RIKITO: Tudo bem, eu não me importo de ser o ultimo.

CHISA: Não tem problema? Pra mim, é Sapporo. Qual foi a última vez que nós fomos à Sapporo?

RIKITO: Faz tanto tempo…

SHOGO: Nós temos feito shows em dupla como CHISA & SHOGO. Nós não vamos à Sapporo há um bom tempo. Faz 3 anos, eu acho.

CHISA: Tem tanta comida gostosa em Sapporo, sushi, miso, ramen, etc. Eu realmente estou ansioso por isso.

Vocês vão fazer um fã meeting em Sapporo, não é?

CHISA: Sim, só em Sapporo não tem uma segunda parte (talk show), então nós iremos fazer em outro espaço, em outro dia. Além disso, a cerveja de Sapporo é muito gostosa também.

HAL: Ahh, é deliciosa. A carne também é boa.

CHISA: Sim. Eu não vejo a hora.

HAL: No caso da comida, como nós vamos visitar esses lugares, eu quero tentar provar a comida típica de lá. O okonomiyaki de Hiroshima tem macarrão, por exemplo. Também tem o momiji manju com polvo dentro. Não é gostoso de jeito nenhum. É bem ruim (risos). Mas é interessante. Mas interessantemente ruim (risos). Ah, também tem uma coisa chamada caramelo de Genghis Khan em Hokkaido…

CHISA: Ah, não tem um gosto bom.

HAL: É um caramelo bem ruim, nada gostoso.

Então vocês não aguentam mais esperar por isso? (risos)

ACME: (risos) vocês estão deixando-a preocupada.

HAL: Vai ser a mesma resposta dos outros, mas sempre que estamos na estrada eu posso ver montanhas diferentes do normal.

SHOGO: Não é a mesma resposta, de jeito nenhum (risos).

HAL: Eu estou ansioso para ver as montanhas. Se eu vejo uma que não vi antes, eu sempre fico fascinado por elas. A maior parte do Japão está coberta por montanhas, então é divertido vê-las. Eu falo isso por todos (risos).

RIKITO: Só você olha pras montanhas. Eu quero ver os rios (risos).

RIKITO: Nós vamos tocar nossas novas músicas nessa turnê, então eu estou ansiando por isso.

Além dos shows?

RIKITO: Além dos shows, eu tiver que escolher algo, eu diria Hiroshima, porque faz um bom tempo que nós fomos lá pela ultima vez. Além disso, eu acho que sempre é bom voltar Osaka, minha terra natal, ou para Kansai.

SHOGO: Você tem que dizer que é Chiba, o lugar que você fala que quer morar.

RIKITO: Chiba é para meus momentos particulares. Essa vai ser nossa primeira vez em Chiba, né? Nós nunca tocamos lá como ACME. Eu estou ansioso por esse motivo também.

SHOGO: Eu estou ansioso por Chiba, onde nós nunca tocamos antes. Claro, as pessoas da região de Kanto viriam para o nosso show. Já que é nossa primeira vez lá, eu espero que as pessoas que moram em Chiba e não vão para Tóquio frequentemente venham nos ver. É por isso que eu estou ansioso para ir para Chiba.

Além disso, vocês transmitiram alguns dos seus shows antes para suas fãs estrangeiras. Vocês estão planejando fazer alguma transmissão dos seus shows durante essa turnê também?

CHISA: Na verdade, nós não fizemos muitas transmissões dos nossos shows. Nós só fizemos em dias que pensamos aleatoriamente “vamos fazer isso”.

RIKITO: No máximo gravamos vídeos durante os shows, e passamos eles no YouTube no dia seguinte quando recebemos pedidos das fãs. Mas nós não fizemos muitas transmissões dos shows.

CHISA: É um pouco difícil atualmente. Já que podemos fazer shows novamente, se nós tivermos transmissões dos shows também, por exemplo, fãs de Tóquio que inicialmente decidem ir a vários shows em cidades diferentes podem decidir assistir a transmissão a invés disso. Essa é uma das minhas preocupações. Eu acho que fãs estrangeiras também querem assisti-los, então talvez nós iremos fazer uma transmissão só do ultimo show. Eu espero que nós possamos arrumar alguma coisa para o futuro.

Entendo. Nós iremos mudar o tópico, de transmissão dos shows para a turnê de novo. Quando vocês estão em turnê, quem sempre leva muitas malas e quem não leva o suficiente ou esquece algo importante?

SHOGO: Eu sou o único que esquece coisas. Eu até esqueci meu figurino uma vez.

HAL: Uma vez ele fez um show com uma camisa que eu emprestei a ele (risos).

SHOGO: Eu peguei emprestada a camisa dele, e eu a usei enquanto HAL estava com o moletom de ROTTEN ORANGE.

RIKITO: Então o que leva menos bagagem provavelmente é SHOGO.

SHOGO: Sim. Minha mala é mais leve.

RIKITO: É tipo “você realmente veio aqui só com isso?”.

SHOGO: Apesar de nós estarmos indo até Fukuoka, eu só tenho algo assim (ele apontou pra uma mala pequena) (risos).

HAL: Mas você esquece coisas mesmo (risos).

SHOGO: Tirando instrumentos e coisas assim, eu só continuo usando minha mesma mala de sempre.

CHISA: Todos estão acostumados com turnês e levam exatamente o que precisam. Ninguém leva nada desnecessário. Afinal, nós também vamos aos EUA frequentemente, então todos são bons em preparar malas.

Dando continuidade, nós gostaríamos de perguntar a vocês sobre seu novo álbum. Nós ouvimos sua nova música RESISTED TEMPTATION. É uma música incrível que combina partes melódicas com batidas pesadas, e o gutural de CHISA está impressionante como sempre. Vocês poderiam nos falar um pouco sobre o processo de produção dessa música e do sentimento por trás dela?

RIKITO: Pra começar, a música original é preparada por HAL. Ele foi quem escreveu a letra e fez a demo.

HAL: Eu escrevi a letra primeiro, aí pedi aos membros para fazê-la soar mais legal (risos). Nós fizemos o arranjo juntos, discutimos se isso ou aquilo soaria melhor. Então ela ficou legal desse jeito (risos).

Ela definitivamente é legal (risos). Nós também queremos saber o sentimento por trás da música.

RIKITO: Nós levamos um tempo bem longo para completar RESISTED TEMPTATION. Nós até pensamos sobre se seria bom lançar mesmo ou não durante a temporada sessão de gravações, porque nós não conseguíamos concordar em nada.

CHISA: Todo mundo tem suas próprias particularidades sobre o que queriam fazer com a música. Mas os detalhes foram tão pequenos que quase perdemos o controle do que estava certo ou que era nosso objetivo, incluindo nossos engenheiros. Mas nós conseguimos finalizar no ultimo minuto e nós até aumentamos o tempo do estúdio, mas nós a completamos. Então por favor, ouçam várias vezes.

SHOGO: Ela se tornou uma música com vários sentimentos e com vários detalhes.

Entendo. A letra também aparece bem profunda. Vocês poderiam nos falar um pouco sobre a letra também?

HAL: Eu escrevi a letra, e eu vou falar sobre montanhas novamente (risos). Eu tenho feito trilhas bem muito ultimamente. Uma vez, eu levei um tempo bem longo na trilha, o sol se pôs e ficou escuro. Eu tive que caminhar de volta no escuro. Eu tinha uma lanterna, mas só conseguia ver o chão ao redor dos meus pés e isso era assustador. Mas se eu tivesse parado lá, poderia ter lobos, sabe, ou ursos. Tem animais, está um breu, não tem luz da lua e está frio. Eu pensei que ia morrer, então continuei andando. Apesar de ter sido perigoso e alguns lugares serem tão estreitos que eu conseguia ver a verdadeira porta do céu (HEAVEN’S DOOR) logo à minha frente (risos). Foi tipo, esse caminho leva à porta do céu (HEAVEN’S DOOR), então vou pelo outro caminho (risos). Como eu continuei caminhando, eu pensei que na vida cotidiana nós realmente não nos preocupamos sobre lutar pelas nossas vidas ou tentar não morrer. Foi assim que a música nasceu. Mas eu escrevi a letra incluindo pensamentos como “seria mais fácil ceder à tentação?”.

Como estamos falando sobre tentações, eu acho que todo mundo tem um guilty pleasure. Quais são os seus?

HAL: Ah, isso? Mergulhar o kushikatsu duas vezes. Apesar de ser proibido. Kushikatsu é um tipo de katsu torcido com porco frito, etc. Também tem um molho de pasta de feijão vermelho, e quando você come, você não pode mergulhá-lo duas vezes no molho porque ele fica sujo. É por isso que tem uma placa nele que diz que mergulhar duas vezes é proibido. Mas a minha tentação para mergulhar duas vezes (risos). Mas eu acho que não é esse o tipo de coisa que você perguntou (risos).

Isso tá perfeitamente ok (risos).

SHOGO: Pra mim, é comer logo antes de ir pra cama quando eu fico com fome. É o melhor. Eu consigo cair no sono logo depois disso. Mas isso engorda.

RIKITO: Eu praticamente só tenho tentações relacionadas à comida.

CHISA: Recentemente, eu cedo às tentações o tempo todo, então continuo ganhando peso. Além disso, anime e drama. Recentemente, Amazon Prime e Netflix lançaram uma temporada inteira de uma vez então assistir um pouco antes de dormir não mata ninguém, certo? Só um episódio e dormir. Mas aí vem um final inacabado, então eu penso que vou assistir só mais um episódio e quando vejo, são 3h. Eu não consigo resistir esse tipo de tentação.

RIKITO: É comprar pela internet. Eu continuo comprando coisas necessárias pro dia-a-dia.

CHISA: O que você compra? (risos)

RIKITO: Detergente!!!

CHISA: Não é?!!

RIKITO: O tamanho normal das sacolas de refil de detergente deveria ser suficiente, mas quando eu procuro por elas, tem tipo, tamanhos três vezes maiores. Bem, aí eu deveria comprar só as três do tamanho do refil, mas quando eu quero comprar dois deles (risos). Esse tipo de tentação (risos).

HAL: Posso falar mais uma? Eu acabei de me lembrar de mais uma. Eu janto, aí bebo um pouco de álcool e deito um pouco. Mas aí eu caio no sono assim (risos). Antes mesmo de conseguir trocar de roupas ou escovar meus dentes. Eu só pretendia deitar por um segundo, aí caio no sono (risos). Desculpa, eu realmente queria compartilhar isso (risos).

Obrigada (risos). Voltando à sua nova música, qual é a sua parte preferida da música?

HAL: Eu particularmente gosto até o ultimo segundo da mixagem, mas depois que o tempo fica mais devagar no breakdown, tem uma parte que faz “dong tan tan” devagar. A batida do baixo da bateria levou um bom tempo pra mixar. Eu pedi ao engenheiro pra deixar o som mais forte (risos). É trabalho do engenheiro criar um bom equilíbrio mas eu disse que ele poderia até apagar todas as outras músicas, contanto que ele deixasse o som do baixo da bateria audível. Porque aquela parte é depois que você já perdeu pra tentação. É esse tipo de momento. Eu acho que vocês vão entender o que eu estou falando se ouvir essa parte do baixo da bateria.

CHISA: É o sentimento logo antes da música chegar naquela parte lenta.

HAL: É meio como se o seu estômago ficasse irritado em um trem e você lutasse contra a vontade de vomitar, mas o momento que você não consegue mais segurar é aquela parte do baaaam (risos). Eu sinto isso (risos).

RIKITO: A respeito do som da nova música, o som do baixo foi distorcido em um nível que nós nunca fizemos antes, então essa é uma parte que fomos bem diferentes a respeito.

SHOGO: A ultima parte eu acho. A afinação da guitarra fica baixa.

RIKITO: A mais baixa possível.

SHOGO: É tipo a coisa de verdade (risos). Foi um grande aquecimento até lá (risos).

Nós também queremos saber sobre seu novo álbum. Tem varias músicas com letras sobre não desistir, persistir durante a dor, etc. em várias músicas como HEAVEN’S DOOR, RE:, RESISTED TEMPTATION e WALK. Como vocês criaram essas letras? Vocês se inspiraram em suas experiências com dificuldades durante sua historia como ACME?

HAL: É sobre as montanhas novamente (risos). Eu escrevi a letra de HEAVEN’S DOOR e essa música. Eu normalmente penso sobre várias coisas enquanto estou caminhando, então eu penso que o conteúdo relacionado às montanhas está aumentando. Eu acho que escalar e fazer trilha tem alguma coisa em comum com a vida. Se você continua caminhando, você definitivamente vai chegar a algum lugar. Se você olha pra lá de onde você está agora, você pode pensar que é longe de mais e que é impossível chegar lá, mas dar apenas um passo à frente não é tão difícil. Mas se você continua dando esses passos, um dia você definitivamente alcançará o lugar que pensou ser longe de mais. Eu acho que esse é um bom aspecto sobre as montanhas. A banda não vai assim tão bem (risos). Porque nós somos empurrados para direções diferentes (risos).

Nós íamos perguntar sobre a banda também. Qual foi a coisa mais difícil que vocês passaram nesses 5 anos como ACME?

HAL: Bem, teve um período em que nosso baixista, RIKITO, esteve afastado por seis meses porque ele estava doente. Houve um tempo em que só nós três acabamos fazendo shows durante seis meses. Naquela época nós estávamos desesperados tentando finalizar os shows de alguma forma, então nos estávamos muito animados. Nós ficávamos tipo “vamos lá!” antes dos shows (risos). Quando nós tocamos depois de bandas com 6 membros, tipo BLUEBILLION, o palco de alguma forma pareceu maior porque tinham poucos de nós nele. É incrível que passamos por isso e agora podemos tocar em 4 novamente. Eu estou muito feliz por isso. Mesmo agora, enquanto conseguimos tocar em vários lugares, até no exterior. Nós não pensamos que poderíamos fazer isso quando éramos apenas 3, então eu estou realmente feliz.

CHISA: Há varias coisas pequenas como o computador parando de funcionar porque estava muito quente, ou o equipamento que pedimos não estava preparado, etc. Mas estranhamente, estar junto com esses membros e os membros do staff me faz pensar que nós podemos dar um jeito. Mesmo quando nosso carro parou de funcionar e quebrou durante a turnê, de alguma forma demos um jeito. Deve ser porque durante esses momentos, ninguém, incluindo eu mesmo, disse coisas como “não podemos mais fazer isso”. Talvez seja por isso que ainda conseguimos seguir em frente. Quando nosso carro quebrou em Seattle e todo o nosso equipamento e coisas foram roubados, nós estávamos chocados, claro, mas nós ainda sentimos como se pudéssemos fazer algo a respeito. Mesmo nesses momentos de grandes dificuldades, nós sentimos como se ainda pudéssemos lidar. Naquele dia, nós estávamos pensando sobre tirar fotos da janela quebrada e usar como estampa de camisas (risos). Tipo quando nos resfriamos o computador usando carne de hambúrguer (risos). Do nada, alguém sempre pensa em uma solução e tudo fica bem. Realmente não houve muitos momentos em que quisemos desistir. Nesses 5 anos, mesmo quando éramos só 3, nós sempre pensamos que tínhamos que continuar (risos). Era tipo “vamos beber primeiro, e aí vamos” (risos). Eu acho que esse é o segredo pra conseguir continuar por cinco anos.

SHOGO: A única situação desesperadora foi quando não conseguimos comemorar nosso 3º e 4º aniversário por causa do COVID. Nós tivemos que adiar ou não conseguimos fazer nossos shows. Essa foi a única vez.

HAL: O que foi ainda mais desesperador que isso: depois de ir à Sendai eu não pude comer gyutan (bife de carne grelhado) porque era domingo. Nada pôde ser feito. Era tipo, por favor, abra seu restaurante pra mim (risos). É por isso que nós estamos voltando para Sendai na próxima turnê (risos).

E o contrario, qual foi a coisa mais feliz que aconteceu nesses 5 anos? Eu tenho certeza que há várias, mas qual foi a número um pra vocês?

CHISA: Ultimamente não pudemos nos apresentar muito no Japão e mesmo agora nós não podemos fazer shows no Japão da forma que costumávamos fazer. É por isso que, em qualquer mídia, nossa turnê nos EUA se torna um tópico. Eu me sinto um pouco triste por nossas fãs japonesas, mas o que me deixa feliz é que tem pessoas que ouvem nossas música e que estão nos esperando em lugares onde nunca fomos antes. Nós conseguimos fazer um show em Nova Iorque esse ano. Eu tinha ouvido falar que as pessoas de Nova Iorque podem ser um pouco mais frias que as pessoas de LA ou do Texas, mas esse não foi o caso, de jeito nenhum, várias pessoas foram nos ver. Eu estou feliz sobre isso. No Japão, nos EUA, e em todos os outros lugares, é ter essas oportunidades que nos faz querer fazer mais.

SHOGO: Pra mim a coisa número um é poder ir para lugares em que nunca fui antes. Tipo quando nós fomos ao Canadá pela primeira vez, em Toronto. Eu estava pensando que a Liga Principal aconteceu lá recentemente. Mas é incrível que nós fomos para um país diferente e tantas pessoas foram nos ver. Eu fiquei surpreso.

HAL: Quando eu penso sobre meu objetivo em fazer música, eu sempre tenho o desejo de ter o máximo de pessoas possível ouvindo a música que eu e meus amigos fazemos. Agora, não só no Japão, nem só nos EUA, várias pessoas de vários países estão ouvindo nossa música. Ainda mais que isso, tem pessoas que estão nos esperando nos países que visitamos pela primeira vez. Eu acho que nada pode se igualar a essa felicidade. Se eu não tivesse ganhado minha vida através da música, eu estaria desperdiçando meu dia inteiro fazendo parafusos e metais, e indo pra casa e tendo uma esposa que reclama “além do seu salário baixo, tudo o que você faz é ficar com fome” (risos). Eu acho que eu tenho uma vida muito mais feliz comparado a isso (risos). Eu posso ir para vários lugares com meus amigos, e fazer um pouco de barulho.

Então, tem outros lugares novos que vocês definitivamente querem visitar no futuro?

CHISA: Há vários. Com a ACME atual, os lugares mais prováveis de nós visitarmos no futuro próximo parecem ser a América do Sul ou a Inglaterra.

HAL: Eu concordo. Na Inglaterra, eles fizeram um evento de DJ com ACME como o tema principal, então acho que nós definitivamente deveríamos ir lá.

CHISA: Eu me pergunto se nós podemos visitar a América inteira, já que nós já fomos ao Texas. Quer dizer, nós até fomos ao Canadá.

SHOGO: Costa Rica não é em algum lugar por lá? É acima do México, eu acho. Indo para a América do Sul, tem um país pequeno que é a Costa Rica. Eu estou interessado nesse lugar porque tem bicho-preguiça (risos). Eu realmente quero ir à Las Vegas. Ou Las Vegas ou Shiga. Porque nosso show em Shiga foi cancelado. Nós estávamos planejando ir lá, mas foi cancelado uma vez por causa do tufão ou algo assim, aí foi cancelado novamente por causa do COVID, então foi cancelado umas 2 ou 3 vezes. Apesar de nós termos dito que nós gostaríamos de ir, nós ainda não fomos, então é Shiga ou Las Vegas.

RIKITO: Brasil. Eu quero pescar no Rio Amazonas.

= TO BE CONTINUED =

Interview: Gamze, Chis
Translation: Amanda

ACME OFFICIALACME OFFICIAL TWITTER
YouTubeSpotify

It would be great if you could support us with a small donation.
It might not be much for you, but it would help us providing more and better interviews in the future.
With a little bit of your support we might be able to realize even more!

One thought on “Band IN: ACME Part 1 (Dec 2022)

  1. Thank you for the interview! I look forward to the next part 🙂 I hope the band are able to come to England some day. Their tour dates in Japan sadly didn’t line up with the dates I was there.

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s